[Por aí]

Por aí

“Os textos refletem uma predileção pelo tema ‘sentido da vida’ (e das dores), comum a todas as gerações, desde sempre”

Por aí é um livro composto por 62 poemas, é um livro bem curto que dá para ser lido em 1 dia, ao receber o livro fiquei admirando por um bom tempo a capa que tem como desenho uma vórtice, em constante movimento e rotação.

Fiquei imaginado o que a capa teria a ver com um livro de poemas?! Após terminar a leitura cheguei a conclusão, que a capa é como se fosse a vida, ela nunca para até seu último suspiro.

A obra foi lançada pela CHIADO Editora, “novata” no mercado editorial brasileiro, mas muito conhecida em Portugal. A CHIADO está sendo, uma das Editoras quem tem me surpreendido muito, pelos livros que ela tem lançado, realmente ela está de Parabéns.

Os poemas do Renan são aqueles que consegue te arrancar suspiros e várias reflexões, alguns são poemas sobre o dia a dia, outros são poemas sobre amores e saudades.

Um dos poemas que eu mais gostei foi “Saudade

"Saudade
Atravesso os domínios do hoje para visitar-te,
Saudoso que estou da cálida rabugice dos teus resmungos.

Não há lugar inalcançável para um espírito disposto.

Contorço-me olimpicamente,
Pois não desejo perder-te de vista
Detrás da trama de mil fios,
Entre este e aquele buraquinho,
No tecido do tempo".

(P.25)

Nunca nenhum livro de poema me tocou tanto como “Por aí”, em cada verso o autor é capaz de tocar sua alma, com lindas palavras e expressões, parece que o autor conhece o leitor de “outros verões” e acho que isso é bem bacana, a sintonia que acaba tendo entre o autor e o leitor.

Assim que acabava um poema eu ficava com um gostinho de quero mais, sempre parava e absorvia aquele lição que o poema me passava, o livro é tão gostoso de ler que quando acaba você fica sem reação, eu digo que minha vontade de ler mais poemas escritos pelo Renan só aumentou.

"Quatro e três da manhã.
Cá estou a espreitar o amanhecer do novo dia.
Procurei estrelas num céu tão encoberto,
E chorei lágrimas de chuvisco
ao perceber-me caberem uma gota do pranto celeste.
Há maior solidão na ciência da enfermidade.
Ah! Se não me soubesse tão pequeno!
Dispensável sou.
Ou apenas mais um".
[4h03, Renan Alvarenga]

 

Renan parabéns você vai muito longe, muito obrigada pela confiança e por essa parceria linda, espero futuramente ler milhares de poemas e livros escritos por você.

Sinopse:

“Cada passo custa uma lágrima
A alegria é lenço precioso
As renúncias são pegadas da nobreza de quem se desafiou a seguir em frente
Quero seguir,
Já que não há opção,
Já que estagnação é prisão"

Conheça o(a) Autor(a)

[Paloma]
Paloma Isabele

Pisciana, Estudante de Direito e Completamente apaixonada pelos livros. Uma frase que resumi toda essa loucura que chamamos de vida é "Nada é tão nosso, quanto nossos sonhos".

Veja Alguns Posts Relacionados

Comentários

Olá, deixe seu comentário para Por aí

Enviando Comentário Fechar :/