[Onze Semanas]

Onze Semanas

"Existe entre as pessoas uma escravidão de culpa. Após anos de ameaças e chibatadas invisíveis, que só machucam por dentro, muitos de nós se acostumam a carregas a culpa dos outros." - Página 209.

Onze semanas é um livro que vai mexer muito com seu psicológico, lembro que quando divulguei ele no instagram, vários comentário do tipo “Se prepare vai chorar”, “Chorei horrores” , “Que livro perfeito e emocionante” surgiram, desde então fiquei curiosa.

O livro é narrado em terceira pessoa, logo de cara somos apresentados a vida de Meg, uma personagem que vive em um conflito com mãe, mas mal sabe ela o que aconteceu para elas se separarem assim.

Como o destino as vezes gosta de brincar Meg acaba ficando de cara com sua mãe, que se encontra em uma cama de hospital com um câncer terminal.

Cláudia mãe de Meg, quer muito exclarecer as coisas entre elas, deixar o passado para trás e ter de volta o amor da filha, então entre varias reviravoltas que acontece acaba surgindo um relacionamento entre mãe e filha, numa cama de hospital.

Eu não consigo descrever até hoje como esse livro mexeu comigo, realmente Ernani colocou toda sua alma e paixão, o que resultou em milhares de lágrimas.

Meg vai descobrindo aos poucos sobre o passado de sua mãe e o que isso influenciou na criação dela, ela acaba descobrindo pelo fato de Claudia ter feito um diario para ela revelando tudo, dia após dia, então, até o final do livro, ficamos com um suspense.

A cada revelação de Claudia para sua filha, eu ficava sem reação e não conseguia acreditar que aquilo havia acontecido e prejudicado tanto a vida delas.

Diria que as duas personagens foram as principais, além de serem cativantes elas foram muito bem construídas, então a cada momento em que elas apareciam, o rumo da história te surpreendia e era impossível se desgrudar do livro.

“Ela é sua mãe, Meg. Basta que vocês tenham convivido por breves segundos e que você tenha sugado de dentro dela o leite da vida uma única vez. Nada no mundo seria forte o bastante pra mudar esse laço. Não há entre qualquer tipo de animal uma relação tão próxima quanto essa de mãe e filha."

O rumo da história é surpreendente ao chegar no final do livro, não havia mais lágrimas para derramar, sem dúvida nenhuma Ernani soube prender e acabar levando o leitor para dentro do livro, várias vezes me senti na pele das duas e isso me fazia pensar se agiria da mesma maneira que elas.

Com 11 semanas acabei levando algumas reflexões para minha vida, uma das mais importantes é saber perdoar, "Sempre saiba perdoar, mesmo que aquela pessoa não valha a pena. Quem está ganhando com isso é você, que fica com a consciência limpa".

No decorrer da historia ao perceber como a relação delas ficam, vocês não tem noção de como isso vai mexer com vocês, vai despertar ódio, alegria e o principal lágrimas.

Além da história incrível, digo que a editora Chiado arrasou em tudo, o design do livro e ele em si, ficou muito perfeito.

Muitas pessoas vivem julgando a capa do livro, sem ao menos conhecer a história, eu apenas insisto, não façam isso vocês estarão perdendo uma ótima história.

Ao ler esse livro vocês vão sentir na pele o que as personagens viveram, a cada página vão sentir um soco no estômago, vão se emocionar muito e perceber o quanto o autor fez questão de deixar alguns temas na história bem profundos, temas que as vezes estão presentes no nosso dia a dia.

Realmente esse livro me pegou de um jeito que não sei explicar, não vou dar spoilers pois acho errado demais contar todos os detalhes, acho que vocês devem sentir o que eu senti do início ao fim.

Quero agradecer muito ao Ernani por acabar com meu psicológico, por me deixar com uma ressaca literária terrível e por me desperta mais vontade de ler suas obras.

E as pessoas que ainda não leram 11 Semanas, se vocês tiverem a oportunidade mergulhem de cabeça e se sintam parte dessa história, tenho certeza que não vão se arrepender, Aaaah preparem os lencinhos, porque as lágrimas vão cair do início ao fim.

Sinopse:

A relação de amor entre duas pessoas, seja de mãe e filho, seja de marido e mulher, é desmedida por padrão. No início a empolgação se esforça para esconder todos os defeitos e no fim o cansaço faz esquecer todas as qualidades. Não há relacionamento em que uma pessoa veja a outra com justiça. Se existe alguém com quem nunca somos generosos, é com quem amamos. Que acontecimento poderoso consegue afastar mãe e filha por quase toda a vida? E que tipo de força é capaz de reaproximá-las nas fronteiras da morte? Da cama de hospital onde vive seus últimos dias, Claudia dá início a uma jornada dolorosa pelas experiências que moldaram a história dela e da filha, Meg. A mãe terá que ser mais rápida do que a morte para convencer a jovem a dividir confissões de uma vida marcada por um trauma. Manter-se viva e reviver a memória serão os desafios de Claudia para mudar o mundo das pessoas que mais ama. Com uma dose de mistério que fatalmente leva os olhos à próxima página, Onze Semanas é uma viagem de sensações viscerais que conduz o leitor inúmeras vezes, sem que ele perceba, ao papel dos personagens.

Conheça o(a) Autor(a)

[Paloma]
Paloma Isabele

Pisciana, Estudante de Direito e Completamente apaixonada pelos livros. Uma frase que resumi toda essa loucura que chamamos de vida é "Nada é tão nosso, quanto nossos sonhos".

Veja Alguns Posts Relacionados

Comentários

Olá, deixe seu comentário para Onze Semanas

Enviando Comentário Fechar :/